terça-feira, 23 de setembro de 2014

domingo, 21 de setembro de 2014

PALAVRA DE DEUS NO DOMINGO

Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 20,1-16a



Naquele tempo:
Jesus contou esta parábola a seus discípulos:
1'O Reino dos Céus é como a história do patrão
que saiu de madrugada
para contratar trabalhadores para a sua vinha.
2Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por
dia, e os mandou para a vinha.
3Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo,
viu outros que estavam na praça, desocupados,
4e lhes disse: 'Ide também vós para a minha vinha!
E eu vos pagarei o que for justo'.
5E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia
e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa.
6Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde,
encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse:
`Por que estais aí o dia inteiro desocupados?'
7Eles responderam:
`Porque ninguém nos contratou'.
O patrão lhes disse:
`Ide vós também para a minha vinha'.
8Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador:
`Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos,
começando pelos últimos até os primeiros!'
9Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde
e cada um recebeu uma moeda de prata.
10Em seguida vieram os que foram contratados primeiro,
e pensavam que iam receber mais.
Porém, cada um deles também recebeu uma moeda de prata.
11Ao receberem o pagamento,
começaram a resmungar contra o patrão:
12`Estes últimos trabalharam uma hora só,
e tu os igualaste a nós,
que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro'.
13Então o patrão disse a um deles:
`Amigo, eu não fui injusto contigo.
Não combinamos uma moeda de prata?
14Toma o que é teu e volta para casa!
Eu quero dar a este que foi contratado por último
o mesmo que dei a ti.
15Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero
com aquilo que me pertence?
Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?'
16aAssim, os últimos serão os primeiros,
e os primeiros serão os últimos.'
Palavra da Salvação.

sábado, 20 de setembro de 2014

PASTORAL DO DÍZIMO

Na quarta feira, os membros da Pastoral do Dízimo estiveram reunidos para programarem as atividades do mês do dízimo. Em outubro as paróquias da Arquidiocese de São Paulo, realizarão um mês de conscientização sobre o sentido e importância do dízimo.
 



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

DOM ODILO CONCEDE ENTREVISTA À FOLHA DE SÃO PAULO

Entrevista Jornalista da Folha de S. Paulo, Flávia Marreiro, 14.09.2014/ Folha de S. Paulo


Em 2010, o sr. foi crítico de uma polarização exacerbada da campanha eleitoral em torno de temas como o aborto. Qual a sua expectativa quanto a essa eleição?

Mesmo sem polarizar o debate, é importante que o assunto do aborto seja levantada na
campanha eleitoral, pois ela envolve questões de princípio na vida política, como a defesa da dignidade humana, da proteção da pessoa e dos direitos humanos fundamentais, como a inviolabilidade da vida humana. Pode haver questão “política” mais relevante?! É importante que os candidatos e os partidos se declarem, sem equívocos, sobre essas questões importantes. Os eleitores têm o direito de saber a posição deles e qual é seu compromisso com essas questões de princípio.


Em 2010 e 2012, o sr. divulgou diretrizes para o comportamento de padres e bispos da arquidiocese. São as mesmas? Está vetado que padres declarem seu voto ou apareçam em material de propaganda pedindo voto?

Também desta vez foram divulgadas orientações da Arquidiocese de São Paulo para as
comunidades católicas sobre a participação na vida política e critérios de discernimento para as eleições. Elas são públicas, encontráveis nos vários meios de divulgação da Arquidiocese, e estão em sintonia com as normas da Igreja nessa matéria. Entendemos que os cargos políticos e a militância nos partidos compete sobretudo aos cristãos leigos, e não aos clérigos. 


O papa Francisco tem dito frases como "Temos que nos envolver na política". "Para o Pontífice, o fiel não pode se fazer de Pilatos e lavar as mãos", segundo a TV Aparecida. Há mais ênfase na participação política do que havia antes?

Os cristãos são cidadãos como todos os demais. Como os outros, eles têm o direito a uma
postura política própria e a seguirem sua consciência. Nós incentivamos os fiéis católicos a
participarem ativamente na vida política, coerentes com os princípios cristãos, com competência, dignidade e generosidade.


Que impacto teria a eleição de uma presidente evangélica no Brasil?

Não penso que se deva problematizar a pertença religiosa dos candidatos. Somos uma nação pluralista do ponto de vista religioso e cultural, e todos os brasileiros, também os que têm fé e praticam uma religião, têm o direito de dar sua contribuição ao bem do País. O governante, porém, não chega ao cargo em nome de uma religião. No discernimento eleitoral, é preciso ver se os candidatos têm condições de governar com justiça e equidade, de respeitar a sociedade e suas instituições, de promover o bem comum e de estar especialmente atentos à parte mais frágil da população, que precisa das especiais atenções do Estado e dos governantes. Vale lembrar que o Brasil já teve governantes de religiões diversas. Sendo laico o Estado, espero que qualquer governante garanta a liberdade religiosa e não a cerceie nem reprima.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

PARTICIPE!

PARTICIPE DO CURSO BÍBLICO SOBRE O EVANGELHO SEGUNDO MATEUS!


DATA: 20 de setembro
HORÁRIO: 15 às 17 horas
LOCAL: Salão Paroquial (R. Prof. Araújo Coelho, 912 - Jardim Líbano)

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

APOSTOLADO DA ORAÇÃO CELEBRA 13 ANOS DE FUNDAÇÃO





 
No último domingo, celebramos em ação de graças pelos 13 anos de fundação do Apostolado da Oração de nossa Paróquia. No início da celebração da Festa da Exaltação da Santa Cruz, Padre Júlio Cesar abençoou a nova cruz processional. No final da celebração, a benção foi dada à nova imagem de São José.
Após a homilia, 4 zeladas receberam a fita estreita e uma zeladora a fita larga e o certificado de zeladora do Apostolado da Oração.