quinta-feira, 27 de novembro de 2014

SALVE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS!

Maria concebida sem pecado
Um dos mais valiosos presentes da Santíssima Virgem para a humanidade, foi dado no dia 27 de novembro de 1830, por meio de Santa Catarina Labouré, humilde freira da Congregação das Filhas da Caridade. Isto foi na Rua De Lubac, no centro de Paris, na Capela da Medalha Milagrosa.
Nesse dia, segundo relata a Vidente, Nossa Senhora apareceu-lhe mostrando nos dedos anéis incrustados de belíssimas pedras preciosas, “lançando raios para todos os lados, cada qual mais belo que o outro”.
Em seguida, formou-se em torno da Virgem uma moldura ovalada no alto da qual estavam escritas em letras de ouro as seguintes palavras, a bela jaculatória:
“Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”.
Esta foi uma prova do céu de que Nossa Senhora é Imaculada, concebida sem pecado original; vinte e quatro anos depois o Papa Pio IX proclamava solenemente o dogma da Imaculada Conceição de Maria no dia 8 de dezembro de 1854; e quatro anos após Nossa Senhora aparece em Lourdes e diz a Santa Bernadete: “Eu Sou a Imaculada Conceição”. Quantas provas de sua Imaculada Conceição!

A Virgem apareceu sobre um Globo, a Terra, pisando a cabeça da Serpente e segurando nas mãos um globo menor, oferecendo-o a Deus, num gesto de súplica. E diz a Santa Catarina: “Este globo representa o mundo inteiro e cada pessoa em particular”. De repente, o globo desapareceu  e suas mãos se estenderam suavemente, derramando sobre o globo brilhantes raios de luz. E Santa Catarina ouviu uma voz que lhe dizia:
“Fazei cunhar uma medalha conforme este modelo. Todos os que a usarem, trazendo-a ao pescoço, receberão grandes graças. Estas serão abundantes para aqueles que a usarem com confiança.” Em 1832, uma violenta epidemia de cólera assolou a cidade de Paris. Foram, então, cunhados os primeiros exemplares da medalha, logo distribuídos aos doentes. À vista das graças extraordinárias e numerosas obtidas por meio dessa medalha, o povo p´-passou a chamá-la de Medalha Milagrosa. Em pouco tempo, essa devoção difundiu-se pelo mundo inteiro, e foi enriquecida com a composição de uma Novena.
Nossa Senhora foi a única criatura que nunca ofendeu a Deus, por isso o Anjo a chama de “cheia de Graça”; assim, ela encanta o coração de Deus e Este lhe atende todas as súplicas como nos mostra as Bodas de Caná da Galiléia. Se os nossos pecados dificultam a nossa comunhão com Deus e nos impedem de obter suas graças, isto não ocorre com Nossa Senhora, então, como boa Mãe, ela se põe como nossa magnífica intercessora.
Mais do que em outros dias, hoje é dia de Graças; peça tudo o que desejar a Nossa Senhora das Graças e já comece a agradecer; pois, se for para o seu bem, Deus lhe concederá pelas mãos benditas de Sua Mãe querida. Afinal, ela é a Filha predileta do Pai, a Esposa bendita do Espírito Santo e a Mãe Santa do Filho de Deus. O que ela não consegue de Deus?


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

AMANHÃ, CELEBRAREMOS A FESTA DE NOSSA SENHOR DAS GRAÇAS

Participe conosco das celebrações em louvor à nossa Senhora das Graças. 

Amanhã, dia 27

às 19h30: Terço luminoso

às 20h: Missa festiva de Nossa Senhora das Graças

LOCAL: Colégio City Pinheirinho (Rua Benedito Gama Ricardo, 243 - Jardim  Líbano)

terça-feira, 25 de novembro de 2014

CONFRATERNIZAÇÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO

O nosso Centro do Apostolado da Oração esteve reunido na noite de ontem para um momento de confraternização e ação de graças pela caminhada realizada em 2014. De modo especial, agradeceram pelas irmãs que receberam a fita de zelada e as que que receberam a fita de zeladora neste ano, bem como, pelos novos membros. 









O FABRICANTE DE ESTEIRAS

Dom Pedro José Conti
Bispo de Macapá (AP)


Um jovem monge, fabricante de esteiras, foi ter com o seu abade e lhe disse:

- Pai, o meu espírito está muito abatido. Faço de tudo para afastar esta tristeza, mas não consigo. O abade lhe deu este conselho:
- Eu tenho o remédio certo: crie um novo modelo de esteira. O noviço, tocado por esta proposta inesperada, obedeceu e voltou ao trabalho com mais afinco. Depois de um mês, com as suas mãos habilidosas, ele acabou de confeccionar uma belíssima esteira. No entanto, depois de alguns dias, o seu coração foi tomado novamente pela tristeza e o abatimento. De cabeça baixa, voltou a falar com o abade e lhe disse:
- O demônio da acédia me atormenta novamente, o que devo fazer?
- Inventa um novo modelo de esteira - repetiu o superior. O jovem obedeceu e, desta vez, a cidade inteira foi invadida por tecidos de palha e vime maravilhosamente entrelaçados. Com isso, o diabo ficou revoltado e disse:
- Com este monge não tem jeito. A cabeça dele está tão ocupada com a criação de novos modelos de esteiras que a oração dele está sempre viva e o seu coração sempre alegre!
A parábola dos talentos é muito conhecida. É fácil também nos deixar envolver pelo desenrolar da história. Ficamos curiosos nos perguntando quantos e quais “talentos” o Senhor nos deu, talvez com vontade de confrontá-los com os talentos dos outros. Será que o Senhor foi injusto conosco? Por que sempre achamos que ele deu mais e melhor para os outros? Também precisamos entender o que significa para nós multiplicar os dons e as aptidões que nos foram confiadas. Será que vamos dar conta? Quando o Senhor vier, para o balanço final, teremos mesmo alguns frutos para apresentar?
Com certeza devemos deixar de lado uma leitura, digamos, utilitarista desta parábola. A questão não pode ser aquela de ganhar mais. O Senhor Jesus sempre falou de juntar tesouros no céu e não neste mundo e chamou de insensato o rico que se deu por satisfeito porque tinha acumulado muitos bens. O fato de ter lucrado mais talentos é o resultado do trabalho e não a razão final do esforço.
Com efeito, o terceiro empregado simplesmente enterrou o talento, não o usou e também não se interessou por nada. Assim o patrão chama de servos bons e fiéis os primeiros dois empregados, mas chama de mau, preguiçoso e inútil o terceiro. Preguiçoso, porque não teve nenhuma preocupação com o uso do talento e inútil porque, não progrediu absolutamente em nada. Entendida neste sentido a parábola fica clara e desafiadora.
A questão não está em ter mais ou menos talentos – cada um de nós tem algo que recebeu totalmente de graça a começar pela própria vida – e nem em lucrar muito ou pouco, mas no fato de ter “trabalhado” ou não ter feito nada, ter desistido desde o início por medo do patrão ou mesmo por preguiça, por falta de iniciativa, por acomodação. Podemos resumir dizendo que estamos neste mundo não simplesmente para curti-lo ou desfrutá-lo, mas para transformá-lo numa realidade melhor nos deixando envolver num projeto grande e bonito que poderíamos chamar de “civilização do amor”.

O economista Adam Smith já dizia que “é o egoísmo do padeiro e não a sua generosidade, que nos fornece o pão de cada dia”. De fato, ele reconhecia que o lucro ou a ganância são as grandes molas que movem, desde sempre, a atividade humana. Quantas pessoas, por causa disso, gastam a vida intera para ganhar, cada vez mais, dinheiro ou aumentar o seu prestígio numa corrida sem fim. Não medem esforços quando a questão é o lucro, mas ficam preguiçosas e sem interesse quando o que está em jogo é a convivência fraterna, a solidariedade, o bem dos menos favorecidos. Somos muito ativos e criativos quando queremos ganhar dinheiro, mas pouco ou nada fazemos para vencer as injustiças, as desigualdades, as exclusões. Precisamos de mais coragem e determinação para ser mais criativos e comprometidos no amor. Desta maneira, daremos um sentido à nossa vida e manteremos ocupada a nossa mente e o nosso coração. Não teremos mais tempo para pensar somente no nosso bem-estar, aprenderemos a pensar mais nos pobres e esquecidos. Se não somos fabricantes de esteiras, todos podemos sempre ser fabricantes de amor. Mais criativos a cada dia.

domingo, 23 de novembro de 2014

A PALAVRA DE DEUS NO DOMINGO

Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 25,31-46

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
31Quando o Filho do Homem vier em sua glória,
acompanhado de todos os anjos,
então se assentará em seu trono glorioso.
32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele,
e ele separará uns dos outros,
assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.
33E colocará as ovelhas à sua direita
e os cabritos à sua esquerda.
34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita:
`Vinde benditos de meu Pai!
Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou
desde a criação do mundo!
35Pois eu estava com fome e me destes de comer;
eu estava com sede e me destes de beber;
eu era estrangeiro e me recebestes em casa;
36eu estava nu e me vestistes;
eu estava doente e cuidastes de mim;
eu estava na prisão e fostes me visitar'.
37Então os justos lhe perguntarão:
`Senhor, quando foi que te vimos com fome
e te demos de comer?
com sede e te demos de beber?
38Quando foi que te vimos como estrangeiro
e te recebemos em casa,
e sem roupa e te vestimos?
39Quando foi que te vimos doente ou preso,
e fomos te visitar?'
40Então o Rei lhes responderá:
`Em verdade eu vos digo,
que todas as vezes que fizestes isso
a um dos menores de meus irmãos,
foi a mim que o fizestes!'
41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda:
`Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno,
preparado para o diabo e para os seus anjos.
42Pois eu estava com fome e não me destes de comer;
eu estava com sede e não me destes de beber;
43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa;
eu estava nu e não me vestistes;
eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar'.
44E responderão também eles:
`Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede,
como estrangeiro, ou nu, doente ou preso,
e não te servimos?'
45Então o Rei lhes responderá:
`Em verdade eu vos digo,
todas as vezes que não fizestes isso
a um desses pequeninos,
foi a mim que não o fizestes!'
46Portanto, estes irão para o castigo eterno,
enquanto os justos irão para a vida eterna'.
Palavra da Salvação.




sábado, 22 de novembro de 2014

COALIZÃO PELA REFORMA POLÍTICA E ELEIÇÕES LIMPAS

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral  (MCCE) São Paulo e as várias entidades reunidas  na “Coalizão/SP  pela Reforma Política Democrática” convocam cidadãos para a coleta de apoios ao Projeto de Lei  de  Iniciativa Popular “Eleições Limpas”  a ser entregue ao Congresso Nacional acompanhado de  1.600.000  assinaturas  de eleitores.
O arcebispo metropolitano de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, manifestou apoio à iniciativa e incentiva as comunidades, pastorais, movimentos e entidades eclesiais a participarem da campanha. "Conto sobretudo com o empenho das lideranças leigas de nossas paróquias, comunidades e organizações eclesiais na obtenção do número de assinaturas necessário", afirma. 
Como participar
1. Imprima  a folha anexa  para  coleta de assinaturas, recolha os apoios, com atenção para preencher  a assinatura do apoiador e o  número do título de eleitor. 
2. Envie  a folha para o  endereço registrado na mesma.
3. Organize bancas e postos de coleta de assinaturas em igrejas, praças, trabalho, clubes, etc. 
4.  Envie fotos de atividades de coleta e divulgação do projeto paracaciamaral@gmail.com


Conheça a Coalizão/SP
Próxima reunião:
Data: 14 de novembro, sexta-feira,
Horário: das 16hàs 18h30
Local: Mitra Arquidiocesana de São Paulo (Cúria Metropolitana).
Endereço: Avenida Higienópolis, 890
Mais informações:  luciano.santos@uol.com.br


Entidades que compõe a Rede da Coalizão:
CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil)
OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)
MCCE (Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral)
Plataforma dos movimentos sociais pela reforma do sistema político
Conic (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil)
Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura)
CTB/DF (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)
CUT (Central Única dos Trabalhadores)
Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas)
Frente Parlamentar pela Reforma Política com Participação Popular
MST (Movimentos dos Trabalhadores sem Terra)
UBES (União Brasileira dos estudantes secundaristas)
UNE (União Nacional dos Estudantes)
Via Campesina
CNLB (Conselho Nacional do Laicato do Brasil)
Movimento Nacional Contra Corrupção e pela Democracia
Unasus (União Nacional dos Auditores do Sistema Único de Saúde)
IDES (Instituto de Desenvolvimento Sustentável)
Criscor (Cristãos Contra Corrupção)
Abramppe (Associação Brasileira dos Magistrados Procuradores e Promotores Eleitorais)
Confea (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia)
IUMA (Instituto Universal de Marketing em Agribusiness)
ANEC (Associação Nacional de Educação Católica do Brasil)
Aliança Cristã Evangélica Brasileira
CJP/DF (Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília)
POM (Pontifícias Obras Missionárias)
Visão Mundial
Escola de Fé e Política de Campina Grande/PB
CFF (Conselho Federal de Farmácia)
CFESS (Conselho Federal de Serviço Social)
Cáritas Brasileira
MPA Brasil (Movimento dos Pequenos Agricultores)
SINPRO/DF (Sindicato dos Professores no Distrito Federal)
Asbrale/DF (Associação Brasiliense das Empregadas Domésticas)
Igreja Batista em Coqueiral de Recife
Instituto Solidare de Pernambuco
CBJP (Comissão Brasileira de Justiça e Paz)
MMC (Movimento de Mulheres Camponesas)
IBDCAP (Instituto Brasileiro de direito e controle da administração pública)
CSEM (Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios)
CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação)
Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos)
CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)
CLAI Brasil (Conselho Latino Americano de Igrejas)
Abracci (Articulação Brasileira Contra a Corrupção e Impunidade)
A Voz do Cidadão (Instituto de Cultura de Cidadania)
Unacon Sindical (Sindicato Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle).
IFC (Instituto de Fiscalização e Controle)
APCF (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais)
Fisenge (Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros)
UBM (União Brasileira de Mulheres)
MEP (Movimento Evangélico Progressista)
Abrapps (Associação Brasileira de Pesquisadores (as) pela Justiça Social)
Fórum da Cidadania de Santos
EPJ (Evangélicos pela Justiça)
Conamp (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público)
Amarribo (Amigos Associados de Ribeirão Bonito)
SAEP-DF (Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal)
Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino)
Auditoria Cidadã da Dívida
Agenda Pública
Instituto Soma Brasil
UVB (União dos Vereadores do Brasil)
MLT (Movimento de Luta pela Terra)
Rede Brasileira por Cidades Justas Democráticas e Sustentáveis
SENGE-MG (Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais).
Abong (Associação Brasileira de ONGs)
AMB (Articulação de Mulheres Brasileiras)
AMNB (Articulação de Mulheres Negras Brasileiras)
ACB (Associação dos Cartunistas do Brasil)
Campanha Nacional pelo Direito à Educação
CEAAL (Conselho Latino Americano de Educação)
Comitê da Escola de Governo de São Paulo da Campanha em Defesa da República e da Democracia.
Comitê Rio Ficha Limpa
FAOC (Fórum da Amazônia Ocidental)
FAOR (Fórum da Amazônia Oriental)
FBO (Fórum Brasil do Orçamento)
FBSSAN (Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional)
FENDH (Fórum de Entidades Nacionais de Direitos Humanos)
Fórum de Reflexão Política
Fórum Mineiro pela Reforma Política Ampla, Democrática e Participativa
FNPP (Fórum Nacional de Participação Popular)
EPPP (Fórum Paulista de Participação Popular)
FNRU (Fórum Nacional da Reforma Urbana)
IDS (Instituto Democracia e Sustentabilidade)
Intervozes (Coletivo Brasil de Comunicação Social)
LBL (Liga Brasileira de Lésbicas)
MNDH (Movimento Nacional de Direitos Humanos)
Movimento Pró-Reforma Política com Participação Popular
Observatório da Cidadania
PAD (Processo de Diálogo e Articulação de Agências Ecumênicas e Organizações Brasileiras)
Rede Brasil Sobre Instituições Financeiras Multilaterais
REBRIP (Rede Brasileira pela Integração dos Povos)
Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos.
Movimento Voto Consciente
CFC (Conselho Federal de Contabilidade)
MPD (Movimento do Ministério Público Democrático)
UJS (União da Juventude Socialista)
UNEGRO (União de Negros pela Igualdade)
CONAM (Confederação Nacional das Associações de Moradores
Instituto Brasil Verdade
Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil
EDUCAFRO – Educação para Afrodescendentes e Carentes
Faça parte você também. Convide a sua entidade, organização ou movimento para participar desta Campanha Nacional pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

ARQUIDIOCESE CELEBROU O DNJ

A Arquidiocese de São Paulo celebrou o Dia Nacional da Juventude (DNJ) neste domingo, 16, no Instituto Dom Bosco, no Bom Retiro, região central da Capital.
Com o tema “Feitos para sermos livres, não escravos” e a iluminação bíblica “Eis o que diz o Senhor: Praticai o direito e a justiça, e livrai o oprimido das mãos do opressor” (Jr 22, 3a), o DNJ 2014 deu continuidade ao tema da Campanha da Fraternidade deste ano.
O evento teve início ao meio-dia, com apresentações artísticas de conjuntos musicais e grupos de teatro das nossas comunidades. “A opção de ‘oferecer palco’ aos jovens de nossas paróquias é pastoral: queremos valorizar, coerentes com o Evangelho do dia, os dons e talentos dos nossos jovens, atuantes nas comunidades, oferecidos de forma alegre e gratuita, ao invés de trazer conjuntos musicais ou cantores católicos famosos, que até poderiam atrair maior público, mas que exigiriam altos cachês, muitas vezes além de nossas possibilidades financeiras”, afirmou Nei Márcio de Oliveira Sá, secretário executivo do Setor Juventude da Arquidiocese de São Paulo (Sejusp). 
Também houve um momento de apresentação de realidades relacionadas ao tema do DNJ. Irmã Maria Ângela, da Pastoral da Mulher Marginalizada, apresentou um breve relato da atuação da Igreja em relação às mulheres em situação de prostituição na cidade. A religiosa, trouxe depoimentos de mulheres com idades entre 15 e 65 anos, que têm sua dignidade roubada por situações de violência, do tráfico de drogas e exploração sexual.
Em seguida, Padre Marcelo Monge, diretor da Cáritas Arquidiocesana, apresentou a situação das centenas de refugiados atendidos pelas ações da Igreja e diversos outros trabalhos de promoção humana realizados pelas Pastorais Sociais da Arquidiocese. “Infelizmente, muitos destes trabalhos preciosos não são do conhecimento de nossa juventude e de muitos leigos adultos”, salientou Nei Márcio. Logo depois, aconteceram 9 oficinas oferecidas aos jovens por grupos ligados ao Setor Juventude.
De acordo com o Sejusp, cerca de 1.200 jovens participaram do evento, que foi encerrado com uma missa na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, no mesmo bairro, presidida por Dom Carlos Lema Garcia, bispo auxiliar de São Paulo e referencial da Juventude.
Logo no início da celebração, o arcebispo metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer, também esteve presente e falou aos jovens. Ele os motivou a se prepararem para a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em 2016, na Cracóvia (Polônia), e também incentivou os jovens a darem passos definitivos em suas vidas, como o do Matrimônio, recordando a recente Assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos, sobre os desafios da família.
Em sua homilia, Dom Carlos usou como exemplo a “parábola dos talentos”, presente no Evangelho do dia, e ressaltou sobre os dons e talentos que as pessoas possuem como o dom da música, de falar idiomas, fazer amigos, entre outros.

Dom Carlos também alertou que os jovens se importem mais com Deus e menos com redes sociais, pois Papa Francisco disse aos jovens na JMJ 2013, no Rio de Janeiro, que eles devem ser “revolucionários”.
“A revolução que Deus quer, é tirar a escravidão de dentro de nós, e que é preciso coragem para ser feliz, coragem de serem filhos de Deus, e que os jovens tem que ter comprometimento com a vida e não leva-la como uma brincadeira”, ressaltou.